Skip to content

Perdas e ganhos (Devocional Diário – 13-Fev)

“Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas.”  (Filipenses 3.7-8a)

Houve uma mudança profunda em Paulo desde que ele creu e se rendeu a Cristo. Você pode ler sobre essa experiência no livro de Atos, capítulo 9. Diferente dos testemunhos promovidos por muitos pregadores da TV, ele não fala do quanto ganhou, mas do quanto perdeu. E não parece ter sido pouco, pois chega a dizer que perdeu todas as coisas por causa de Cristo. Quantas igrejas estariam ainda cheias se a proposta fosse: “Venham seguir a Jesus e preparem-se para perder todas as coisas a que vocês tanto se apegam e buscam com tanto esforço!” A experiência cristã, segundo a encontramos nas Escrituras, envolve inegavelmente, perdas dessa magnitude. E envolve porque o destino de quem segue a Cristo é ter sua visão da vida mudada completamente.

Paulo está falando que experimentou uma inversão de valores. O que era “lucro”, coisas que ele buscava como algo importante, como algo que o tornaria mais “rico” na vida, ele passou a considerar como “prejuízo” (perda), chegando a dizer que considerava “tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus”. Donald B. Kraybill escreveu sobre isso em seu livro “O Reino de Ponta-Cabeça”, ajudando-nos a compreender essa necessária inversão de valores. Uma inversão que, segundo as Escrituras, constitui-se prova de que realmente conhecemos e cremos em Cristo (2 Co 5.17). Como Paulo, nós precisamos descobrir e nos encantar com “a suprema grandeza do conhecimento de Cristo” de modo tal que represente nosso grande tesouro, nossa pérola de grande valor.

Jesus veio para que tenhamos vida, e vida em abundância (Jo 10.10). Mas essa abundância de vida é resultado de nos tornamos ricos segundo os valores e princípios do Reino de Deus. Valores e princípios que, normalmente, são desprezados no reino dos homens. Em lugar de ser o primeiro, ser o último; em lugar de ser servido, servir; alegrar-se em perdoar e sentir-se honrado por ser desprezado porque optou por ser fiel à fé em Cristo; preferir dar, em lugar de procurar receber. Tudo isso são inversões declaradas como marcas do Reino de Deus em nós. Mas tenhamos certeza de que, todas as “perdas” se dão em coisas perecíveis e passageiras, ilusórias. E os “ganhos” são perenes, de valor eterno, nos dado pelo próprio Deus. Como dizia Jim Elliot: “Não é tolo, aquele que abre mão do que não pode reter, para receber o que não pode perder”.

“A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o seu espírito”

(Filipenses 4.23)